Antropolítica Revista Contemporânea de Antropologia

A Antropolítica – Revista Contemporânea de Antropologia do Programa de Pós-graduação em Antropologia da Universidade Federal Fluminense, é uma revista científica que tem como objetivo a publicação de artigos e resenhas, relevantes para o campo da Antropologia e das Ciências Sociais.

Com periodicidade semestral, cada número é composto por um Dossiê temático, organizado por um docente do Programa de Pós-Graduação em Antropologia, uma seção de artigos de temática livre, uma seção recentemente inaugurada com o título de Olhares Cruzados, com o propósito de abrigar artigos que contribuam para a refl exão sobre diálogos internacionais e uma quarta, composta por resenhas.

Todas as colaborações recebidas serão submetidas a pareceristas. Entretanto, os colaboradores interessados deverão submeter seus artigos de acordo com as normas de publicação científica (6022/2003 e 6021/2003). Poderão ser publicados textos escritos originalmente em espanhol, francês ou inglês, exceto aqueles que não forem inéditos. Nesse caso, o artigo deverá ser traduzido para o português.

A Revista Antropolítica, qualificada como A2 pela Capes desde 2013, está em processo de inserção nos principais diretórios e indexadores nacionais e internacionais que contemplam as Ciências Sociais e, em particular, a Antropologia.

Até o momento, a Antropolítica está nos seguintes diretórios:

DOAJ

LatIndex

Livre!

Periódicos Capes

Periódicos UFF

SEER IBICT

Sumarios.org

 

Métricas de citação:

Índice h5

Notícias

 

Atualização periodicidade Antropolítica

 
Publicação quadrimestral!  
Publicado: 2020-04-02 Mais...
 

Chamada para Dossiê “Mercados Informais/Ilegais, Ilegalismos e a Regulação pela Violência”

 

Encontra-se aberta, até o dia 30 de abril de 2020, a chamada para envio de artigos para integrar o Dossiê “Mercados Informais/Ilegais, Ilegalismos e a Regulação pela Violência” no número 50 da Revista Antropolítica, vinculada ao PPGA/UFF.

Estaremos recepcionando no presente dossiê artigos etnográficos que coloquem sob descrição e analisem empiricamente o funcionamento ou emergência de mercados informais, ilegais e ilícitos (ilegalismos). Tais mercados podem ser entendidos tanto como espaços concretos reservados a determinadas operações e práticas que ponham em circulação pessoas e mercadorias, ou como um conjunto de relações de trocas e circulação de valores morais. Nos interessa particularmente reflexões acerca das regulações desses mercados a partir da utilização da violência (potencial e efetiva), como também simbólica.

 
Publicado: 2020-03-05 Mais...
 
Outras notícias...

n. 48 (2020)


Capa da revista